Ano novo, vida nova?

Já me desculpando pelo clichê do título, digo que 2019 finalmente chegou.

E com ele, mais uma vez, a esperança de um mundo melhor e mais justo. E claro, resoluções de ano novo. Eu começo este ano com pelo menos três, fora os projetos de vida.

Claro que algumas coisas dependem de outras, mas os planos devem ser feitos e os projetos de vida devem ser planejados e esperados com alegria. Minha mãe sempre diz que “o melhor da festa é esperar por ela”, e eu acredito nisso desde que me entendo por gente.

Me lembro quando eu e Camila começamos a desenhar nosso plano de mudança de país, o que necessariamente implicaria em uma mudança de vida. Era muita coisa pra planejar, literalmente centenas de pequenos “poréns e senões” que deveriam ser discutidos e solucionados, caso alguma coisa desse errado.

E sempre existem as coisas que dão errado. Elas são inevitáveis.

Quando se muda de país, quase todas as coisas são novas e precisamos investir um tempo em aprender como elas funcionam. Burocracia, por exemplo, é sem dúvida um enorme desafio.

Esse “friozinho na barriga” de planejar, pensar nas pequenas-grandes conquistas, é o que nos move e o que acende a chama dentro da gente. É o que nos faz vivos.

***

Sobre planejamento, podemos compartilhar algumas coisas que pensamos ser importantes se você tem o intuito de sair do Brasil. Alguns conselhos que podem lhe dar um norte sobre por onde começar.

1-Decida pra onde você quer ir

DMO-dashboards1

Me lembro que fizemos uma lista de países para os quais gostaríamos de nos mudar e, em pequenos tópicos, separamos o que era importante para nós. Por exemplo: clima, alimentação, emprego, economia, escolas (porque temos nossas crias) e idioma.

Com isso, chegamos a uma lista reduzida de 3 países e fizemos nossa escolha por aquele que teve as maiores notas na nossa escala de necessidades.

2-Faça economias

pounds.jpg

Este é um passo que pode ser feito concomitante ao primeiro. Junte dinheiro. Quanto mais, melhor. É impossível expressar o quanto isso é importante. Lembre-se que muitos países utilizam uma escala de “credit score”, algo como um sistema de pontos pra ver se você possui cacife a fim de bancar sua vida ali.

Quando você chega, seu credit score é zero e você precisa bancar seu aluguel, celular e outros itens à vista. Por aluguel, por exemplo, geralmente as imobiliárias exigem em média 6 meses de pagamento adiantados. E enquanto você não encontrar seu primeiro emprego, você deverá se manter com essas economias.

Lembre-se também que nem todos os imóveis são mobiliados e que você terá que comprar o mínimo (cama, colchão, itens de higiene etc). A maioria das casas, no entanto, possui máquinas de lavar louça e roupa, fogão e talvez geladeira.

Para trazer o dinheiro na época, utilizamos um serviço de transferência bancária (transferwise) porque a Camila já tinha conta bancária aqui (aliás, se você possui cidadania europeia, sua vida será grandemente facilitada quando for abrir conta em banco, o que foi um pesadelo pra mim que durou quase 6 meses). Não posso lhe dizer como será seu caso, por isso pesquise antes.

Dessas suas economias, prepare-se para a emoção que é ver o dinheiro saindo da conta quase todo de uma vez.

3-Viaje leve

pexels-photo-346768

Quase 100% das nossas coisas no Brasil foram vendidas ou doadas. Trouxemos bem poucas coisas, um mínimo de roupas pra cada um, travesseiros e edredons (são itens caros aqui), objetos pessoais com apelo emocional e algumas coisinhas que dariam uma cara de “lar” pra nova casa (panos de prato, toalhas de mesa…).

Ainda assim, depois de um tempo, chegamos a conclusão que seria mais prático ter trazido muito menos. Nessas horas, menos é mais.

4-Pesquise sobre o mercado de trabalho

outsourced-600x344

Londres é uma história à parte. Por onde você passa e olha, há vagas de emprego. Já dissemos isso aqui em outros posts e recomendamos a leitura desses textos na aba “economia – emprego”. Existem muitos postos de trabalho em aberto em várias áreas, especialmente restaurantes, pubs/bares, hotéis… Pra essas vagas, você consegue estar empregado em menos de uma semana.

Mas se você pensa em buscar emprego na sua área e acha que seu inglês tem um nível bom, sugerimos que você tome alguns passos:

  • Atualize seu Linkedin e faça uma versão em inglês. O mesmo vale para seu CV.
  • Procure agências de recrutamento especializadas na sua área. As empresas de recrutamento aqui funcionam e são inúmeras. Elas fazem a pesquisa de quais vagas você se encaixaria e agendam as entrevistas – gratuitamente.
  • Garimpe vagas no Reed, Indeed, Glassdoor e outros (crie um perfil gratuitamente nesses sites).
  • Escreva uma carta de apresentação (cover letter). Quando você for enviar um CV pra uma empresa, inclua uma “cover letter”, uma breve apresentação sua, explicando porque você é o candidato ideal para aquela vaga.

5-Pesquise sobre moradia

3b4cc4a32ae8df5b5484ddb2d41cf89b

Temos alguns textos aqui no blog sobre aluguel e moradia, na aba de mesmo nome. Os fatores que irão determinar sua moradia são muitos e sugerimos uma extensa pesquisa antes de mais nada. Sites como Zoopla, RightMove e outros poderão lhe dar uma ideia de valores e custos mensais.

Você deve ser concentrar em fatores como:

  • Quantas pessoas irão morar com você?
  • Animais de estimação?
  • Crianças?
  • Próximo do trabalho pra economizar com transporte?
  • Longe do trabalho pra economizar com aluguel?

6-Pesquise sobre custos

2660x876-insidebanner-calculators.jpg

Seus custos irão novamente depender de vários fatores, e não podemos chegar a valores fixos porque são muitas variáveis. Mas pesquise sobre custos de:

  • Alimentação (mercado)
  • Aluguel
  • Transporte
  • Contas mensais (luz, água, gás, TV, council tax)

Faça um contraste com o salário que pretende/vai ganhar e verifique se as contas fecham. Ficar sem dinheiro no exterior é cilada.

7-Estude o idioma

Reading-Book.jpg

Temos alguns textos aqui sobre a importância inquestionável e indiscutível de se falar inglês. Quanto melhor o seu nível do idioma, melhores serão seus salários e ofertas empregos. Não existem desculpas pra não estudar inglês.

Portanto, mãos à obra. Estude, estude e estude.

Leia notícias, ouça rádios locais (use aplicativos de celular), assista filmes com legenda em inglês.

Faça o idioma ficar íntimo seu.

***

Dicas:

  • Nos sites de imóveis (RightMove, Zoopla e outros) você vai encontrar o mapa da localidade, o que tem por perto (escolas, mercados e estações de trem e/ou metrô) e o quanto você gastaria de custos mensais.
  • Os sites de empregos (Reed, Indeed etc) geralmente dão informações sobre o salário, sem desconto dos impostos. Baixe um aplicativo chamado SalaryCalc pra você saber quanto receberá líquido. E lembre-se: os salários informados são “por ano” e não por mês, como vemos no Brasil. Acostume-se a fazer contas assim.
  • Em outros posts mencionamos alguns nomes de mercados e lojas locais. Você pode usar o site deles para consultar preço de produtos, tais como alimentos, itens de higiene, eletro-eletrônicos etc).
  • Para fazer pesquisas, use www.google.co.uk.
  • Tente ler as notícias locais para se interar dos assuntos (especialmente BREXIT).
  • Explore o nosso blog. Muitos itens aqui mencionados foram explorados em outros textos. Recomendamos o texto sobre Mudança de Mentalidade (aqui).

***

Com a chegada do ano novo, muitos são os nossos projetos de vida.

Pode ser que este seja o ano que sua vida vai mudar, como a nossa mudou.

Prepare-se.

Um comentário em “Ano novo, vida nova?

Deixe uma resposta para Gabriel Teixeira Cancelar resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s